top of page

Serviço de Fisioterapia: menos dores e mais qualidade de vida

Criado no final de 2013, o Serviço de Fisioterapia do Grupo JAL, realizado em parceria com a Unimed, já atendeu, em seus quase cinco anos de funcionamento, 751 pacientes. De acordo com a fisioterapeuta Bruna Lacopo Costa Nabuco, o resultado dos tratamentos tem sido positivo. “No ano passado, por exemplo, dos 193 colaboradores avaliados e atendidos, apenas 26% apresentaram reincidência no quadro”, comemorou. A profissional divide o atendimento, feito em dois turnos (8h às 14h e 13h às 19h), com a fisioterapeuta Elizabeth Constantino Amaral, ambas da Unimed. Os casos mais comuns, segundo a fisioterapeuta, são os de dores nas regiões lombar e cervical; depois ombro e joelho. “As lombalgias estão em primeiro lugar, devido à postura. Mas, questões como trabalhar em pé e agachado, no caso de profissionais da oficina, e movimento de passar a marcha, no caso de motoristas, também são causas frequentes de dores”.

Bruna explica que “após o tratamento, procuramos orientar sobre a importância de se praticar uma atividade física para o fortalecimento contínuo da musculatura e melhoria da postura. Normalmente, o paciente já sai da fisioterapia com encaminhamento para a Academia JAL. Na maioria dos casos, o colaborador que segue essa orientação não sente mais dor e ainda ganha em qualidade de vida”.

Colaborador é atendido pelo Serviço de Fisioterapia do Grupo JAL


O encaminhamento para as seções de Fisioterapia é feito por um médico. O colaborador que tem essa orientação a partir de atendimento fora da empresa deve procurar o Centro Médico JAL, que irá confirmar a necessidade de tratamento e encaminhá-lo para o Serviço de Fisioterapia interno. “Havendo vaga dentro do dia e horário desejado pelo colaborador, nós fazemos a primeira avaliação, sempre às sextas-feiras, e iniciamos as seções, que acontecem de segunda a quinta. Caso não haja vaga, ele entra na fila de espera”, afirma Bruna.

Posts recentes

Ver tudo

Grupo JAL promove campanhas de doação de agasalhos

O inverno chegou e, mesmo que no Rio de Janeiro ele não seja dos mais rigorosos, há sempre aqueles dias em que o frio aperta e precisamos de roupas mais quentinhas para aguentar as baixas temperaturas

تعليقات


bottom of page