top of page

Time de Melhoria do Sistema de Suspensão: segurança, conforto, estabilidade e dirigibilidade dos veí

O Time de Melhoria do Sistema de Suspensão é liderado pelo líder de mecânica de suspensão, Jorge Luiz da Silva Martins, e conta com mais sete integrantes: o engenheiro mecânico, Carlos Cesar de Morais Gomes; o líder de borracharia, Claudinei Gonçalves Santos; a assistente administrativa, Fernanda de Oliveira Silva; o assessor da gerência de manutenção, Joaquim Rangel Barbosa; o líder de almoxarifado, Robson Luiz de Souza Teixeira Maciel, e os mecânicos de suspensão, Eliel Luiz Nogueira de Souza e Wallace Ribeiro Correia.

O Time se reúne mensalmente para discutir questões ligadas à segurança, conforto, estabilidade e dirigibilidade dos veículos. Nas reuniões são analisadas as causas que levaram aos resultados alcançados  e definidas ações para a melhoria do desempenho. Também são discutidas questões como: qualidade do material, mão de obra empregada (mecânicos de suspensão, do processo de Manutenção, e motoristas, do processo de Operação), problemas externos, como condições do piso onde os veículos trafegam, e custos totais. “Nosso objetivo é disponibilizar à operação, veículos em ótimas condições, visando a segurança dos nossos motoristas e clientes”, afirma Jorge Luiz.

Entre as ações de sucesso já implementadas pelo Time estão: a substituição dos veículos de suspensão pneumática (bolsas de ar), que trafegavam na linha São Vicente x Méier, pelos veículos de suspensão convencional (feixes de molas), que trafegavam nas linhas de acesso ao Centro do Rio. Neste caso, foi observado que os veículos com suspensão pneumática apresentavam altos índices de entradas na manutenção para regulagem de determinada peça e, mediante investigação, foi constatado que a suspensão empregada era inadequada para o piso utilizado.

Com base no processo de investigação, foi elaborado um relatório com todas as ocorrências de suspensão dos veículos da linha, sendo identificado que as hastes das válvulas niveladoras das bolsas de ar amassavam com frequência, fazendo com que o veículo perdesse altura no lado danificado, causando desconforto aos motoristas e clientes e gerando perdas de viagens. O processo de investigação das causas demorou alguns meses. Neste período, foi realizado o acompanhamento de todos os serviços e trocas de peças, o levantamento dos custos (material, mão de obra, viagem perdida), o estudo sobre o comportamento dos componentes nos diferentes pisos, e treinamentos com vídeos explicativos dos sistemas de suspensão existentes na frota para os motoristas da linha.

Comments


bottom of page